Como organizar finanças pessoais
DicasFinanças

Finanças pessoais: Confira dicas de como organizar as suas

Organização das finanças pessoais é a chave do sucesso e cada vez mais pessoas descobrem isso. No mundo atual, não ter controle do próprio dinheiro, mesmo que você ganhe bem, é sinônimo de desequilíbrio e pode trazer diversas consequências, como negativação financeira, dívidas exorbitantes e perda de crédito.

Pensando nisso, esse artigo traz o que a maioria das escolas não costuma ensinar: dicas incríveis para te ajudar a manter suas finanças organizadas. Dessa forma, se você tem interesse por educação financeira ou quer sair do vermelho, confira os tópicos abaixo e comece a aplicar as dicas aqui apresentadas.

Veja também:
Independência Financeira: Como planejar corretamente

Como fazer para organizar as contas?

Para organizar as contas, é importante fazer uma contabilidade pessoal. Nela, você irá anotar tudo: quais seus bens, quanto eles valem; quais suas dívidas, quanto elas valem e quando elas vencem; quais suas entradas de dinheiro, quanto elas valem e quando elas entram; entre outras coisas.

Uma vez feito isso, analise qual é o estrago e proponha soluções. Nesse contexto, ao ter consciência do seu problema financeiro como um número, você poderá racionalizar como fará para pagar as contas e, quando possível, começar a poupar dinheiro.

O que fazer para organizar as finanças pessoais?

Apesar de parecer algo difícil de ser feito, existem várias formas de organizar as despesas de uma pessoa. Nesse contexto, seguir algumas dicas simples podem facilitar – e muito – a adoção de uma relação financeiramente mais saudável.

  • Dica 1: Faça uma faxina. Apesar de parecer estranha essa dica, seu objetivo é encontrar todos os documentos de bens e boletos, entre outros, que estão em atraso;
  • Dica 2: Faça uma contabilidade pessoal. Uma vez que você tem todos os arquivos em mãos, organize em uma tabela os dinheiros que você tem a receber, as contas que você tem a pagar, entre outros e coloque data em tudo;
  • Dica 3: Inclua a organização financeira na sua rotina e na rotina da sua família. Isso significa tirar um dia da semana e/ou do mês (dependendo de qual é o fluxo do dinheiro na sua casa) para planejar em conjunto ações e metas que devem ser traçadas para economizar;
  • Dica 4: Aprenda a anotar todos os seus gastos. Dessa forma, quando você precisar escrever, seu cérebro vai analisar de novo se o que você comprou foi uma boa escolha e isso criará um mecanismo de recompensa;
  • Dica 5: Elimine gastos supérfluos. Apesar de essa dica parecer difícil, quando você fizer a tabela do item 2 vai perceber que grande parte do seu dinheiro vai para coisas que você não sabe nem onde estão ou que não tem retorno e, assim, saberá exatamente onde deve cortar;
  • Dica 6: Determine metas. Isso fará com que você crie um sistema de recompensas com seu cérebro e te dará um objetivo tangível de ser acessado;
  • Dica 7: Veja se é financeiramente interessante refinanciar suas dívidas: em alguns casos, até ter sua dívida comprada por um novo banco pode ser uma saída interessante dependendo das taxas de juros;

O que é educação financeira pessoal?

Em linhas gerais, educação financeira pessoal diz respeito à forma como alguém lida com dinheiro. Dessa maneira, uma pessoa bem educada financeiramente consegue viver bem  ao adequar seu padrão de vida ao salário que recebe, possui economias, dinheiro para emergência, entre outras especificidades.

Em contrapartida, alguém que não é financeiramente educado apresenta uma relação ruim com o dinheiro, possui dívidas, não conta com reservas emergenciais e, enfim, gasta mais do que ganha. Nesse contexto, a educação financeira torna-se importante para que as pessoas adquiram estabilidade.

Qual o melhor app de finanças pessoais?

No mundo atual, finanças é um assunto cada vez mais popular: todo mundo gostaria de fazer com que o dinheiro renda mais. Dessa forma, aliar a organização financeira com o uso de aplicativos é a solução perfeita para quem busca praticidade. No entanto, como atualmente existem vários aplicativos no mercado e cada um deles apresenta funcionalidades diferentes do outro, a escolha é cada vez mais difícil.

Pensando em te ajudar, trouxemos algumas dicas para os principais aplicativos 

  1. Mobills: esse é, sem dúvida, um dos meus favoritos por conter uma versão gratuita para pc, Android e iOS bastante completa. Com ele, você pode criar objetivos financeiros, preencher seus gastos para ter tudo em um lugar só, fazer gráficos, entre outras coisas;
  2. Organizze: assim como o mobills, esse aplicativo permite que você anote seus gastos e possui versões para pc, iOS e android, porém, sua grande vantagem é possuir uma interface mais simples de usar e ter a possibilidade de criar lembretes que notificam perto do vencimento das contas. No entanto, grande parte de suas funcionalidades são pagas;
  3. MoneyWise: possui função semelhante aos dois anteriores, porém, só está disponível para android;
  4. 52 semanas: esse aplicativo eu uso e recomendo. Com ele, é possível criar metas para juntar dinheiro ao longo do ano. Disponível para android e iOS;

Dos aplicativos que estão listados, particularmente, eu uso o 52 semanas e o Mobills. No entanto, há quem prefira o organizze ou o MoneyWise. Sendo assim, analise quais aplicativos atendem às suas expectativas e se você está disposto a pagar pela versão premium dele.

Para que serve as finanças pessoais?

De uma maneira geral, o objetivo das finanças pessoais é fazer com que as pessoas melhorem sua relação com o dinheiro e, através disso, consigam uma vida financeiramente saudável, sem dívidas impossíveis de ser pagas e na qual seja possível atingir metas financeiras visando concretizar objetivos reais como comprar carro próprio, fazer viagens, entre outros.

Como organizar a despesa do mês?

Em primeiro lugar, para organizar as suas despesas mensais, é importante ter consciência do real valor do dinheiro. Ou seja, é de extrema necessidade que você saiba exatamente quanto ganha e quanto precisa gastar para manter seu padrão de vida atual. Assim, você poderá ter uma visão geral do problema.

Para realizar esse exercício de consciência, existem dicas que podem ser usadas, como fazer uma lista com todos os gastos mensais. Nessa lista, você precisa classificá-los como urgentes (emergências de saúde, mecânico), essenciais (aluguel, escola das crianças) e supérfluos (fazer o cabelo toda semana, comprar roupa nova). Dessa maneira, será possível fazer uma análise e descobrir para onde está indo o seu dinheiro.

Descoberto quais são as coisas em que você gasta seu dinheiro, é importante saber onde é possível fazer cortes. Nesse contexto, a classificação vai ajudar, pois, a maioria dos gastos que podem e precisam ser cortados são os superficiais: talvez, passar alguns meses sem comprar roupa ou ir no cabeleleiro pode ser uma boa escolha em alguns casos.

Por fim, a dica mais importante para organizar as despesas mensais é: priorize pagar suas contas antes de fazer novas. Apesar de parecer óbvio, por querer manter um padrão de vida incompatível com a própria renda, muita gente não faz isso e antes mesmo de pagar as contas mais importantes, já fez dívidas novas no cartão de crédito. Dessa forma, o valor que está no cartão dá a sensação de ser “problema do próximo mês”, mas, na verdade, é apenas uma conta que foi empurrada com a barriga.