Como planejar a independência financeira
DicasFinanças

Independência Financeira: Como planejar corretamente

O sonho de alcançar a independência financeira é algo que permeia a cabeça de grande parte das pessoas que investem e até mesmo daquelas que ainda não iniciaram no mundo dos investimentos. Isso ocorre graças às promessas de acumular um grande patrimônio e ganhar muito dinheiro a partir dele, de forma a juntar grandes fortunas sem a necessidade de ter que trabalhar para outras pessoas.

Entretanto, não é um trabalho fácil e necessita de muita organização e planejamento por parte do investidor, que deverá ter mais controle em relação aos seus gastos, separando parte da sua receita para realizar investimentos nas mais diversas modalidades disponíveis, o que permitirá que, com o passar dos anos, esses investimentos se tornem uma “bola de neve”, capazes de se expandir a partir da renda gerada por eles mesmos, sendo reinvestida em novos ativos.

Com isso, o investidor pode reinvestir os seus lucros de forma a aumentar o patrimônio cada vez mais, gerando dividendos e, ao recebê-los, comprar novos ativos que irão gerar outros dividendos. Esse escalonamento nos investimentos, em poucos anos, irá proporcionar uma independência financeira ao investidor, de modo a permitir que ele se “aposente” e viva apenas desses rendimentos.

Portanto, se você pretende entrar no mundo dos investimentos, com o objetivo de alcançar a independência financeira, continue a leitura deste artigo e saiba mais a respeito de todas as nossas dicas para que esse objetivo seja alcançado da melhor maneira possível, de modo a viver apenas de dividendos e deixar de lado o seu emprego convencional.

O que é independência financeira?

O termo independência financeira irá depender do objetivo que a pessoa esteja em busca, ou seja, para alguns, independência financeira é poder viajar todos os anos durante o período de férias, comprar os bens que deseja, trocar de carro a cada 2 anos, pagar todas as suas contas em dia, sem qualquer tipo de atraso ou simplesmente não precisar mais trabalhar. 

O entendimento mais comum a respeito da independência financeira é de que, trata-se de uma capacidade que o investidor possui, de sobreviver até o fim de seus dias sem precisar ter um trabalho, seja ele fixo ou temporário. Os rendimentos obtidos com seus investimentos e o patrimônio acumulado são capazes de oferecer uma boa qualidade de vida, tornando-se dessa forma, desnecessário a busca por trabalhos.

O que fazer para conquistar independência financeira?

Alguns problemas podem dificultar que o investidor seja capaz de alcançar a sua independência financeira, tais quais a queda na economia do país, assim como a falta de educação financeira por parte da população. Através desses dados, é possível explicar o crescente número de pessoas que estão endividadas e com o nome sujo em órgãos de proteção ao crédito como SPC/SERASA, onde parte delas não é capaz de organizar os seus rendimentos e suas dívidas, incorrendo dessa forma em inadimplência dos compromissos financeiros.

Conquistar a independência financeira está diretamente ligado a trabalhar com coisas das quais a pessoa gosta e tem interesse, sem que haja comprometimento do orçamento, ou simplesmente viver da renda obtida dos investimentos ou do patrimônio, como no caso dos aluguéis de imóveis.

Para ser possível conquistar a independência financeira, é necessário ter em mente que sacrifícios devem ser feitos, como, por exemplo, evitar gastos desnecessários, criar um plano de investimentos baseado no tempo necessário para atingir tal objetivo, que no caso em comento, seria a independência financeira. Portanto, uma série de decisões e ações devem ser tomadas para que esse objetivo seja concretizado, onde falaremos mais a respeito dessas ações posteriormente.

Etapas para ter uma independência financeira

Como mencionamos anteriormente, para que a independência financeira seja alcançada, é necessário que a pessoa passe por uma série de etapas e procedimentos capazes de tornar esse sonho possível. Abaixo, elencamos algumas dessas etapas que irão ajudá-lo a tornar a independência financeira algo possível:

Crie um planejamento financeiro

A primeira etapa para ser possível alcançar uma flexibilização das suas contas e organizá-las de forma correta é criar um planejamento financeiro. De acordo com dados divulgados pelo Serasa, cerca de 63 milhões de brasileiros estão com o nome sujo por inadimplemento de suas obrigações financeiras, ou seja, possuem alguma dívida não paga. Esses dados demonstram a incapacidade da população de controlar suas finanças, visto que não possuem nenhum tipo de planejamento financeiro.

Uma boa dica para começar é utilizar ferramentas como as planilhas, que estão disponíveis na internet ou na loja de aplicativos do seu smartphone. A partir delas, é possível elencar todas as suas despesas, desde as menores às maiores, assim como a renda mensal obtida, podendo, dessa forma, realizar um controle minucioso a respeito das finanças conforme os dados obtidos pelos demonstrativos das planilhas.

Defina seus objetivos

Saber exatamente o que quer e como chegar lá é outra etapa importante para ser possível realizar esse objetivo. Se você quer comprar uma casa nova, fazer uma viagem para o exterior, trocar de carro, ou largar o trabalho e viver apenas de rendimentos, é importante direcionar todos os seus esforços para que esse objetivo seja alcançado, ou seja, é necessário um bom planejamento.

Quando se tem metas e objetivos bem definidos, é possível ter um controle maior a respeito das despesas pessoais, tornando-se mais fácil guardar dinheiro para atingir esse objetivo. Essa é uma das primeiras etapas para se alcançar a independência financeira, evitando gastar mais do que ganha e se planejar para um futuro próximo, aumentando seu orçamento poupando gastos com coisas fúteis.

Desenvolva sua carreira profissional

Uma das formas de se ganhar mais dinheiro e melhorar o padrão de vida é através de boas oportunidades de emprego. Entretanto, essas oportunidades demandam profissionais qualificados para exercerem os cargos. Geralmente, os funcionários de instituições privadas que trabalham com carteira assinada dispõem de duas opções: uma promoção ou pedir um aumento do salário. Já aqueles que trabalham por conta própria e são autônomos contam com uma maior flexibilidade em relação ao dinheiro.

Dessa forma, ao se capacitar e obter um reconhecimento maior por parte do seu chefe ou das pessoas pelas quais presta serviço, as oportunidades financeiras tendem a aumentar, visto que, a procura pelos serviços irá aumentar, consequentemente aumentando os valores recebidos pelo seu trabalho.

Crie uma reserva de emergência

Criar uma reserva de emergência é algo extremamente necessário, dado que é impossível saber sobre os imprevistos que podem surgir ao longo de nossas vidas. Portanto, essa reserva de emergência deve conter valores capazes de suportar pelo menos 3 meses das suas despesas, caso venha a perder o emprego, ou seja, se os seus gastos mensais, incluindo todos os tipos de despesas, forem de 2 mil reais, a reserva de emergência deve ter um valor de 6 mil reais, capazes de suprir as necessidades durante esse período.

Essa reserva irá ajudá-lo, principalmente aqueles que estão entrando no mundo dos investimentos financeiros, pois, caso venha a sofrer grande perda de patrimônio, é possível recorrer a ela para evitar mais danos.

Separe parte da sua renda e invista

Uma das formas mais utilizadas para se obter independência financeira é por meio dos investimentos. O mercado financeiro, através de alguns títulos de crédito, fornece aos credores valores referentes aos dividendos, ou seja, uma espécie de taxa de juros que as instituições pagam aos seus clientes. Ao construir essa carteira de investimentos, constrói-se um patrimônio, onde é possível receber um salário a partir desses dividendos. Com isso, não há necessidade de se submeter a qualquer outro tipo de trabalho, visto que, os rendimentos são capazes de suprir essa necessidade financeira a partir do pagamento das taxas de juros, portanto, trata-se da maneira mais “simples” de se alcançar a independência financeira, por meio desses investimentos no mercado financeiro, comprando títulos de crédito que irão gerar renda passivamente até o fim de sua vida.