Orçamento Familiar
DicasFinanças

Orçamento Familiar: Dicas de como fazer a organização

Organizar-se financeiramente pode evitar dores de cabeça ao fazer com que você não negative seu crédito (hoje em dia, quase tudo precisa de um CPF com bom score para ser aprovado). Mais do que isso, quando se trata de orçamento familiar, proporcionar a saúde financeira reflete na harmonia da casa, na concretização de planos, em não frustrar expectativas, entre outros aspectos.

Pensando nisso, esse artigo foi feito para trazer dicas de como organizar financeiramente sua família através de um orçamento. Dessa forma, se você tem interesse por esse tema ou caso deseje implementar um orçamento familiar na sua casa, fique atento nos tópicos abaixo, eles foram feitos pensando justamente em desmistificar alguns conceitos e te ajudar a dar os primeiros passos rumo a saúde financeira.

Veja também:
O que é o empréstimo consignado? Quem pode fazer um?
O que significa um financiamento? Quais as vantagens de fazer um?
Dicas e passo a passo para começar a investir seu dinheiro

O que é um orçamento familiar e para que serve?

Para uma família, ter um orçamento significa controlar os gastos do núcleo familiar e saber para onde vai o dinheiro dos provedores. Em linhas gerais, construir um orçamento é basicamente anotar os gastos (com comida, roupa, entre outros), os recebimentos (salários, dividendos de investimentos, entre outros), os bens (casa, carro, entre outros) e fazer com que o que entra seja superior ao que sai, garantindo, assim, a o equilíbrio das contas.

Nesse contexto, mais do que garantir que os boletos sejam pagos no fim do mês, um orçamento bem feito serve para proporcionar a saúde financeira da família. Dessa forma, quando atinge um patamar de boa saúde, a família passa a ter possibilidades de realizações materiais, como a compra de um carro, uma casa maior, aparelhos eletrônicos, viagens,  entre outras.

Como planejar o orçamento familiar?

Apesar de aparentar ser difícil em um primeiro momento, planejar o orçamento familiar é de extrema importância. Sendo assim, para te ajudar a dar o pontapé inicial no planejamento familiar e te ajudar a conquistar a tão sonhada saúde financeira, separamos algumas dicas essenciais que podem ser adotadas por todos:

  • Dica 1: Antes de qualquer coisa, a organização financeira precisa ser um estilo de vida adotado por todos os moradores da casa, inclusive as crianças. Isso significa que mesmo que os adultos tenham a palavra final e que seja entre eles as conversas mais sérias sobre como fazer, é importante incluir as crianças na rotina financeira e deixá-las cientes do valor do dinheiro;
  • Dica 2: Mantenha um diário de todos os gastos familiares. E quando digo todos, é tudo mesmo: a bala que você comprou no sinal? Anote! O dinheiro que você deu para o flanelinha da rua? Anote! Os 10 reais que caíram do seu bolso e você não viu até chegar em casa? Por favor, anote! O sorvete que comprou para as crianças? Anote também! Além de anotar o valor, é importante escrever data e especificar em que o dinheiro foi gasto;
  • Dica 3: Crie metas de gastos mensais. Para fazer isso, uma dica interessante é criar um gráfico e colocá-lo na sala de maneira visível no qual está  anotado em algum lugar o quanto que falta gastar para atingir a meta;
  • Dica 4: Corte o que não for essencial ou, no mínimo, reduza: não é essencial tomar cerveja todos os dias depois do trabalho, nem fazer o cabelo toda semana ou comprar roupa para as crianças todas as vezes que elas precisam sair de casa, muito menos ir ao cinema com muita frequência. Portanto, reduza!;
  • Dica 5: Tente criar um fundo de emergência. Isso será bastante útil para não comprometer seu orçamento em meses posteriores caso precise gastar com alguma emergência verdadeira;
  • Dica 6: Crie uma poupança. Isso mesmo, além do fundo de emergência, é interessante criar uma poupança e mais interessante ainda que esses dois dinheiros não se misturem. Uma dica é criar metas de economia mensais e repartir esse dinheiro economizado em cotas para as duas reservas;
  • Dica 7: Mantenha os gastos planejados. Isso significa ter um maior controle do que sairá e quando sairá, diminuindo imprevistos. Quanto você vai gastar com o lanche das crianças? Quanto você vai gastar de gasolina por mês? Isso tudo precisa ser anotado;

Qual a importância de se fazer um orçamento familiar?

Criar e seguir um orçamento, para uma família, é de extrema importância. Isso porque, antes de mais nada, a organização familiar proporciona saúde financeira e faz com que as contas sejam pagas em dia, que o nome dos provedores não fique negativado, que seja possível realizar sonhos e metas materiais, entre outros motivos.

Ademais, além de fazer com que as contas sejam pagas em dia, o orçamento familiar garante a harmonia dentro de casa. Nesse contexto, por proporcionar que as expectativas financeiras sejam atingidas e por fazer com que seja possível sempre alcançar coisas melhores, as pessoas não têm o motivo de briga número 1, o dinheiro.

Como fazer um orçamento familiar simples?

Agora que você já viu que tem interesse pelo assunto, já sabe o que é um orçamento familiar, para que ele serve, qual sua importância de organizar o seu dinheiro e algumas dicas para aplicar esse hábito no seu dia-a-dia, ensinaremos como fazer um orçamento familiar através de um pequeno passo-a-passo. Mas fique de olho: aqui, estão presentes apenas algumas dicas que, apesar de serem importantes, não eliminam a necessidade de estudar sobre o assunto ou, caso seja necessário, contratar um profissional da área.

  • Passo 1: Marque uma reunião com os membros da sua família e isso, obviamente, deve incluir seus filhos (isso transmitirá uma sensação de que é algo importante e incluí-los nas tomadas de decisão ajudará quando você pedir participação deles nessa empreitada);
  • Passo 2: Em um caderno, planner financeiro ou planilha do excel, descreva todos os valores que vocês têm para receber (salário, dívidas que outras pessoas têm com vocês, dinheiros em investimentos, entre outros), os que possuem em caixa (isso inclui aqueles 2 reais no bolso do filho mais velho, as moedinhas soltas pela casa, entre outras). Lembre-se: é importante colocar data e especificação de cada um deles;
  • Passo 3: Em outra tabela, descreva todos os valores que vocês têm a pagar, incluindo contas que ainda vão vencer (a exemplo de parcelas futuras dos cartões de crédito). Lembre-se: é importante colocar data e especificação de cada um deles;
  • Passo 4: Determine o que é gasto supérfluo (fazer o cabelo, fazer churrasco no fim de semana, ir ao cinema, pedir iFood, entre outros), o que é urgente (médico, carro quebrado, dentista, entre outros) e o que é essencial (contas de internet, telefone, aluguel, água, entre outros);
  • Passo 5: Proponha, junto com os outros membros, uma meta de dinheiro a ser economizado (algo realista e tangível com base nos cortes que podem ser feitos) e decidam em conjunto o que deve ser cortado dos gastos supérfluos. A participação nesse passo deve ser conjunta e seria interessante que, se preciso, cada um se comprometa com algum corte, para não ficar tão pesado para apenas uma pessoa;
  • Passo 6: Marque a data da próxima reunião financeira (isso passa para todos a ideia de prazo a cumprir, de meta e, sendo assim, as pessoas entenderão que os sacrifícios serão apenas temporário e em prol de algo maior);